Suplente de vereadora em Buritis é acusada de lavar dinheiro para organização criminosa

A suplente de vereadora Michelly Araújo (PSB), 36 anos, de Buritis, teve mandado de prisão expedido pela Justiça, acusada de lavar dinheiro para integrantes de uma organização criminosa que rouba cargas em estradas do país.

A Polícia Federal deflagrou na manhã de quinta-feira (10) a Operação Hicsos II, que contou com o apoio de 450 policiais e teve como objetivo interromper as ações criminosas do grupo. Foram cumpridos 91 mandados judiciais, dentre eles 40 mandados de prisão em Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e no Distrito Federal.

As ações de investigação desenvolvidas na primeira etapa, a Operação Hicsos I, permitiram aos investigadores identificar os financiadores do crime de receptação. Em Buritis, a vereadora suplente Michelly Araújo foi presa acusada de lavar dinheiro para integrantes da organização criminosa. Os policiais identificaram seu envolvimento com o grupo de roubo a cargas por intermédio de seu marido, preso na primeira fase da Operação.

O esquema criminoso teria movimentado, até o momento, em torno de R$ 30 milhões. Durante as investigações, os policiais já haviam prendido 30 pessoas, retirado de circulação 15 armas de fogo, apreendido 15 veículos roubados e recuperado mais de meio milhão de reais em cargas roubadas.

De acordo coma PF, os envolvidos responderão pelos crimes de roubo qualificado, cárcere privado, lavagem de dinheiro, organização criminosa, tráfico de drogas e receptação.