Buritis: Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil

No dia 18 de maio foi celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Aqui em Buritis o CREAS (Centro de Referência de Assistência Social)  e o Conselho Tutelar realizaram palestras nas escolas para falar sobre o tema e orientar as crianças e adolescentes de como devem agir caso venham sofrer abusos e como identificá-los.

“A gente deu dicas de como se prevenir o abuso, de como procurar ajuda, os canais de denúncia. A gente falou na linguagem infantil em todas as escolas”, explicou a Assistente Social, Rafaela Noronha.

As denúncias de abusos sexuais contra crianças e adolescentes tem caído em comparação com o ano passado, embora ainda esteja no quinto mês do ano.

“Esse ano com as intervenções, a gente teve uma redução no número de denúncias. Mas no ano passado tivemos dados alarmantes envolvendo crianças cada vez mais novas e uma desproteção muito grande. Até o período desse ano está tendo um índice menor se comparado o ano passado” ressaltou a Psicóloga Ana Jéssica.

Algumas crianças procuraram a equipe após as palestras para denunciar possíveis abusos que sofreram. Elas foram acolhidas pelo Conselho Tutelar que prosseguiu com o atendimento e a investigação.

A equipe encerrou as atividades na sexta-feira, dia 17, no Programa Ação e Vida (PAV) com poesia, arte e brincadeiras.

Como denunciar

Segundo o artigo 13 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), quando há suspeita ou confirmação de violações de direitos humanos de crianças e adolescentes, de qualquer tipo, incluindo a violência sexual (abuso ou exploração sexual), o caso deve ser sempre denunciado.

A denúncia pode ser feita através de ligação gratuita para o 190 da Polícia Militar (PM), no Conselho Tutelar da cidade, delegacias de polícia ou no próprio Creas. Não é preciso se identificar.

Como surgiu a data da campanha

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil se trata de uma mobilização nacional que teve início há 46 anos e foi instituído em decorrência do caso de violência sexual e homicídio contra Araceli Cabrera Crespo, na época com 8 anos. Araceli é hoje símbolo da campanha.

O caso aconteceu em 1973 no Espírito Santo (ES) e até hoje não foi solucionado. Aos 8 anos, Araceli foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada. O corpo foi deixado desfigurado e em avançado estado de decomposição próximo a uma mata, em Vitória, dias depois de desaparecer. O processo, depois do julgamento e absolvição dos acusados, foi arquivado pela Justiça.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído oficialmente no país através da lei nº 9.970, de 17 de maio de 2000.