Trabalhadores da agricultura familiar ocupam agência do INSS em Buritis

Cerca de 100 trabalhadores da agricultura familiar ligados ao SINTRAF (Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar) ocuparam na manhã de quarta-feira (25) a agência do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Socia) em Buritis. O atendimento na agência ficou interrompido durante todo o dia.

A ocupação começou por volta de 09hs quando os trabalhadores entraram no prédio e exigiram que os funcionários parassem com o atendimento e se retirassem. “Estamos aqui para lutar pelos nossos direitos que não vem sendo cumpridos, queremos uma manifestação pacífica, exigimos a saída dos servidores da agência e só vamos nos retirar com a presença de um representante legal do INSS de Brasília”, disse Maria Abadia Alves, presidente do SINTRAF em Buritis.

A Polícia Militar esteve no local para intermediar as negociações e manter a ordem. Os manifestantes mantiveram o controle do prédio, almoçaram no local e por volta de 14hs uma parte se deslocou para o auditório da Câmara Municipal de Buritis, onde uma comissão do INSS de Brasília aguardava para audiência. “Já tivemos outros encontros em Brasília para tratar do mesmo problema, e nada foi resolvido, por isso decidimos pela ocupação da agência hoje em Buritis, para chamar a atenção das autoridades sobre o problema enfrentado pelos nossos trabalhadores”, disse Jorge do PT, ex-candidato a prefeito e principal liderança do movimento.

A audiência foi pacífica, com discussões voltadas para os temas: Padronização do atendimento dos assentados da reforma agrária, disponibilização de pesquisador para região de Buritis e melhor análise nos casos de auxílio-doença com relatórios médicos.

Ao final da reunião ficou marcada um novo encontro na segunda-feira (30) com a diretoria do Ministério da Previdência Social em Brasília. Mauro Araújo, gerente da agência de Buritis, fez uma vistoria no prédio ao final da ocupação e disse não haver sinais de prejuízo, prometendo ainda se empenhar para resolver as reivindicações dos trabalhadores.