Matadouro Municipal é interditado Pela Justiça

A Polícia Militar Ambiental executou na tarde de quinta-feira (14) uma determinação do juiz da Comarca de Buritis, Dr. Renato Polido Pereira e interditou o matadouro municipal. A ação é de Julho de 2018, mas só agora foi aplicada. A prefeitura ainda foi multada em cerca de R$ 13 mil, segundo informou o sargento Wagner.

Mesmo pagando essa multa, o matadouro não retoma as suas atividades, suspensas por tempo indeterminado. Um dos principais pontos que levou a interdição foi à ausência da licença ambiental.

Relembre o assunto: Justiça Determina Interdição do Matadouro de Buritis

Outras irregularidades se arrastam desde 2010, ano em que deram início às investigações. O documento cita como, por exemplo, a ausência das licenças ambientais e sanitárias para realizar as atividades, efluentes lançados diretamente em valas improvisadas com pontos de vazamentos, descarte irregular de carcaças, vísceras e couros dos animais, aglomeração de animais que podem ser transmissores de doenças, poluição atmosférica em razão da emissão de dióxido de enxofre e dióxido de carbono. As péssimas condições de higiene em estrutura física extremamente precária e inadequada foi mais um ponto ressaltado, assim como o poço artesiano sem a devida outorga ambiental.

Em nota, a Prefeitura disse que através da Secretaria Municipal de Agricultura tentou melhorar o ambiente para se adequar às exigências mínimas, e que as atuais leis ambientais são rígidas e complexas. Afirmou ainda o elevado custo para manter funcionando o matadouro dentro das normas regulamentares e que, no momento, não cabe no orçamento do município.

A interdição já era esperada tanto pelo Governo, quanto pela Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Buritis, Nayana Machado. Segundo ela, o problema se arrasta há anos.

“Não é de agora, já vem se arrastando de muitos anos. Todo dia é uma liminar diferente. Em julho do ano passado a prefeitura recebeu uma intimação que o matadouro estaria interditado e teria uma multa diária de quinhentos reais, mas continuou funcionando, está aí o resultado.”

Com o fechamento do matadouro, pelo menos 20 pessoas vão ficar desempregadas. Além dos pequenos produtores que não terão mais o local para o abatimento de bovinos e suínos.

O comércio de Buritis tem a opção de adquirir carnes dos frigoríficos de Unaí-MG e Formosa-GO, mas o preço vendido ao consumidor final será reajustado, alertou a presidente Nayana.

Leia abaixo na íntegra a nota da prefeitura.