Escola cívico-militar é tema de debate em Buritis

A ideia de uma escola modelo cívico-militar em Buritis chamou a atenção da população. Aproximadamente 400 pessoas estiveram na audiência pública na noite de terça-feira, 28 de janeiro, na Escola Municipal Cândido José Lopes, local escolhido para execução do novo modelo de ensino.

O evento contou com o apoio da Abemil, Associação Brasileira às Entidades Educacionais Cívico-Militares. O projeto do Governo Bolsonaro conta com a parceria das Secretarias Municipais de Educação. Para que seja implementado, é necessário que a Prefeitura elabore o projeto com previsão de despesas e encaminhe para votação na Câmara Municipal.

Nesse primeiro momento o município arca com as despesas e posteriormente poderá concluir a parceria com o Ministério da Educação (MEC) para receber recursos.

O Governo Federal pretende implementar 216 escolas cívico-militares até 2023. Em 2020, serão 54 unidades. O foco do programa é ter uma gestão de excelência com uma equipe híbrida, composta por civis e militares. Os militares atuarão como monitores, acompanharão a vida dos alunos, farão contato com as famílias, verão o nível de vulnerabilidade de cada estudante.

Se aprovado, a escola cívico-militar pode começar ainda neste ano. Os 530 alunos da escola Cândido não serão remanejados para outras instituições.