Homem morre eletrocutado

No dia 14 por volta das 12 horas, um Homem morreu eletrocutado na comunidade rural do Pernambuco enquanto fazia uma troca de um poste de energia, um  serviço prestado para a CEMIG. A vítima tinha 29 anos e é natural da cidade de novo cruzeiro MG. O funcionário da empresa Método e Projetos e Construções elétricas LTDA, ao ser eletrocutado ficou pendurado nos cabos totalmente carbonizado. Testemunhas afirmam que ele teria se antecipado no serviço que começaria a 13 horas, hora em que a energia seria desligada.

3 comentários

  1. É realmente uma pena ter acontecido tal fato, meu sincero pesar a família deste trabalhador falecido. O preço de uma vida não existe dinheiro que paga. Mas analisando a história podemos observar que o colaborador iniciou sua atividade antes do horario marcado para inicio das atividades. Será ?Com respeito ao comentário e ao pesar do Sr. José Divino, não tirando lhe a razão do comentario mas apenas ratificando-o. Os Técnicos em Segurança do Trabalho, não são obrigados a acompanhar todas as atividades que a empresa esteja praticando.Pode o tecnico responsavel não ter passado o treinamento necessário ao colaborador, ou este ultimo ter ignorado as regras de segurança, talvez. Por isso acho antecipado culpar os Técnicos do Trabalho por este acidente. pois estes não tem como estar em todas as frentes de trabalho uma vez que as empresas possuem 1 técnico para um grande número de trabalhadores.Mas não deixamos de ficar tristes com tal acidente.

  2. Concordo inteiramente com o comentário do leitor José Divino. É um absurdo a realidade de insalubridade, perigo e descaso com a segurança, por parte dos patrões, que os trabalhadores brasileiros têm de enfrentar todos os dias. Esse é só mais um caso de um trabalhador que tem sua vida destruída pela ganância e irresponsabilidade dos donos de empresas. Não podemos aceitar isso e nem acreditar nas mentiras propaladas pelos que lucram com o sangue dos filhos do povo! O Estado, em todas as suas esferas, omisso, é também responsável por mais essa morte, como se não bastasse seu servilismo aos ricos, empresários e latifundiários e sua aversão quando se trata de defender os interesses dos mais pobres, os quais só têm seus anseios respondidos com mentiras, enganações e repressão. Que a familha desse trabalhador exija seus direitos e que a CEMIG, assim como a prestadora de serviços e o Estado, arquem com os seus deveres de indenizar mais esse assassinato que cometeram!

  3. sou de novo cruzeiro, fiquei triste ao saber da noticia.Que Deus dê o conforto e o consolo para os familiares desse trabalhador.
    RIANE de sao bernardo do campo