Pais buscam solução para atestados médicos de professores na Vila Rosa

Gestores e pais de alunos da Escola Municipal Olegário Batista na Vila Rosa ocuparam as cadeiras do plenário da Câmara Municipal de Buritis na reunião de segunda-feira (13) em protesto contra a falta de professores em sala de aula.

A reclamação chegou ao legislativo no ano passado e se intensificou no início deste ano com ausência constante de professoras de Português e Matemática que dão aulas para as turmas do 6º ao 9º ano, justificadas com apresentação de atestados médicos.

A diretora da escola, Claudia Mendes Barbosa, revelou que a situação se agravou quando precisou remanejar funcionários para a sala de aula, como cantineiras e secretárias.

“Já estamos na metade do ano e me preocupo com a base que meu filho terá para iniciar o ensino médio. Interpretação de texto é fundamental e ele não está recebendo nenhuma orientação sobre isso”, disse Eliene da Abadia, mãe de dois alunos da escola municipal.

O vereador Luan Cordeiro apresentou nesta reunião a indicação do projeto 020/2016 sugerindo ao Governo Municipal, através da Secretaria de Educação, criar o cargo de professora eventual para as escolas da rede municipal de ensino. “O cargo existe na rede estadual e é eficaz. Estou preocupado com os alunos que estão sem aulas e com a saúde das professoras que se deslocam para zona rural diariamente. Precisamos olhar o caso mais de perto”, afirmou.

Após as reclamações a Prefeitura Municipal abriu um edital para contratação de uma professora de português.