Cheiro de esgoto incomoda moradores em Buritis

Há semanas um mau cheiro vindo de bueiros e da Estação de Tratamento de Esgoto tem tomado conta da rotina de quem mora nas principais ruas de Buritis. A situação tem incomodado os moradores, que pedem uma solução.

Os relatos são de que o odor fica mais intenso na parte da manhã e no final da tarde. “Já acordamos com o mau cheiro e no final da tarde o fedor volta. Temos a impressão que toda a cidade está com cheiro insuportável”, contou a bancária Ingrid Santos.

Para o técnico de informática Willian Ferreira, a situação é crítica tanto em sua residência quanto no local de trabalho. “Moro na avenida Bias Fortes e tivemos que mudar a hora de almoçar. Começa por volta de 11h e se estende até a tarde. O mau cheiro é terrível, sai pelas pias, tanquinhos, chega a causar enjôo. Já no trabalho foi necessário tampar alguns canos para diminuir o cheiro” reclamou.

Na avenida Bandeirantes em cruzamento com a rua Floresta é possível ver quatro bueiros e apenas um deles protegido com grades. Lojistas do local foram categóricos em responder que “praticamente o dia todo tem mau cheiro saindo dos bueiros”.

O problema não é exclusivo do bairro Centro. Eliziana David que reside no Canaã também está incomodada com o odor forte. “Comecei a notar que por volta das 17h o cheiro intensifica. Até imaginei que fosse o esgoto da minha casa e nos últimos dias o mau cheiro só tem aumentado”.

Segundo a Secretaria Municipal de Obras Públicas o tratamento de esgoto da cidade é de responsabilidade da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). A empresa afirmou que a manutenção da Estação de Esgoto é realizada diariamente e que o odor sentido pela população é levado pelo vento.

De acordo com a Secretaria, os bueiros da cidade estão passando por limpezas semanais e que em breve haverá uma melhoria na captação pluvial do município, incluindo uma reestrutura dos bueiros já existentes.

A Estação de Tratamento de Esgoto de Buritis fica às margens da MG-400, no sentido de saída para Formoso-MG, foi construída pela Prefeitura há 12 anos e adquirido pela Copasa em 2010. Até o momento a estação não possui laboratório local, estrutura asfáltica, calçamento e nem uma plantação de eucaliptos que colaboraria na eliminação dos odores, o que seria necessário para o funcionamento correto da estação.

Segundo a prestadora do serviço já existe um projeto de adequação da estrutura física, mas não há previsão para início das obras.