Justiça Eleitoral de Buritis apreende material de campanha irregular

A Justiça Eleitoral de Buritis cumpriu mandados de busca e apreensão contra propagandas eleitorais irregulares em cinco pontos de Buritis e na zona rural na terça-feira (2). A ação foi realizada após denúncias anônimas.

Policiais e oficiais da Justiça Eleitoral cumpriram a ordem de busca e apreensão em endereços no bairro Taboquinha, entre eles na sede da Federação de Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (FETRAF) e em uma residência onde os materiais foram localizados.

Segundo a Justiça Eleitoral, o mandado de busca e apreensão de propaganda irregular foi objeto de uma denúncia feita contra a vereadora Camila Almeida (PT), que estaria promovendo a distribuição irregular de adesivos e panfletos.

Os materiais apreendidos apresentam divulgação do ex-presidente Lula como candidato a presidência. Lula foi considerado inelegível pelo TSE, por seis votos a um, na madrugada do dia 1º de setembro, e está preso desde abril deste ano em Curitiba. Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O tribunal já decidiu que, “em qualquer meio ou peça de propaganda eleitoral,” é proibido apresentar Lula como candidato ou apoiá-lo nessa condição.

O material apreendido em Buritis será enviado à Procuradoria Regional Eleitoral em Belo Horizonte.

Segundo a vereadora Camila, o material apreendido teria sido confeccionado antes da decisão que retirou Lula da campanha, e que não estava mais sendo usado. Ela acredita que a denúncia partiu de seus inimigos políticos.